Galho de Sacrifício

2
1026

Matéria escrita por Mac Donald Fernandes

O que é um galho de sacrifício?

Como o próprio nome diz,nada mais é do que um galho que será deixado crescer propositalmente, para depois de um certo tempo ser cortado.

Esta técnica é conhecida há muito tempo pelos bonsaístas experientes, embora seja pouco difundida aos principiantes. Este talvez seja o fator preponderante para o surgimento de mudas com qualidade superior na futura utilização como Bonsai e em algumas espécies, a única forma de se conseguir a conicidade adequada.

A técnica deve ser aplicada com bom senso e uma boa avaliação do nebari da planta em questão. Observando atentamente as raízes do futuro Bonsai, escolhemos a suposta frente. Uma das formas de se aplicar a técnica do galho de sacrifício é com a poda drástica. Em um tronco ereto e sem conicidade, efetuamos o corte na diagonal, em oposto à frente da planta para que fique escondido, tratando de cobrir bem a cicatriz com uma pasta cicatrizante. Algumas espécies não aceitam este tipo de procedimento -em geral os pinheiros- e deve-se pesquisar antes para realizar a técnica sem medo de errar.

A outra forma de aplicar a técnica, consiste em escolher um galho -ramo- e deixá-lo crescer livremente na vertical para que a planta o transforme em ápice. Isso fará com que a energia da planta seja direcionada a este ramo e seu crescimento seja acelerado. Conforme o galho de sacrifício –ou galhos- cresce, aumenta o diâmetro do tronco, logo abaixo dele. É o que chamamos de engorda.

Em alguns casos demora anos para que se atinja a grossura ideal do galho para depois o corte do mesmo e se necessário pode ser deixado vários galhos de sacrifício. É importante ressaltar sobre o fechamento do local do corte com a pasta cicatrizante para que tenhamos uma boa cicatriz no futuro e não haja apodrecimento do local.

Em algumas espécies não é indicado o galho de sacrifício, devido ao fato de se formar a indesejável conicidade invertida. Nestas espécies quando deixamos o galho crescer livremente, forma-se um calombo com uma grossura ligeiramente maior de onde sai o galho do que em alguns centímetros abaixo.

Veja as imagens a seguir:

 

 

Caso Simples de Conicidade invertida

conicidade invertida 2
Caso Grave de Conicidade Invertida
conicidade invertida

 

A lista total de espécies que não aceitam o galho de sacrifício não é longa e entre elas estão a Calliandra, Serissa, Piracanta e Resedá.

Uma forma simples de se conseguir a tão desejada conicidade sem a aplicação do galho de sacrifício é a técnica japonesa do cresce e corta. Espera-se a planta atingir uma determinada altura e podamos bem baixo. Em seguida deixamos apenas um galho crescer verticalmente e novamante depois de um determinado tempo entramos com uma nova poda. Conforme o galho vai crescendo as cicatrizes vão se fechando e a conicidade se formando.

Um dos maiores erros é pensar que estas técnicas dão resultado a curto prazo. Assim como tudo no Bonsai, levam-se anos para poder começar a trabalhar a copa de um pré-bonsai. Devemos ter em conta que algumas espécies só começam a engrossar o tronco depois que os galhos passam do diâmetro de dois centímetros, o que leva bastante tempo ocasionalmente.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here